Home » Destaque » Sonho de Prata [Resenha]

Sonho de Prata [Resenha]

SonhoPrata_topopor Alexandre Moreira

em 07 de Setembro de 2015

A espetacular sequência de “Entremundos” é de tirar o folego! Já familiarizados com Altiverso e a Interzona, a narrativa é surpreendente e imersa em muita ação e mistério. A evolução tanto de Joey quanto de seus companheiros da Cidade Base é refletida do começo ao fim da narrativa muito bem articulada de Neil Gaiman e Michael Reaves. Diferente do primeiro volume da série, onde Joey estava aprendendo a controlar sua capacidade de “andar” para (e em) outras dimensões, em “Sonho de Prata”, essa habilidade surge controlada e usada para missões específicas da cidade base onde passou a viver com suas paraencarnações (os Joeys de outros universos etc).

No começo do livro, destinado a uma missão pelo Ancião, Joey e sua equipe voltam acompanhados para a cidade base. O que, até então, era impossível, tornou-se uma verdade viva: eles haviam sido seguidos mesmo depois de andar. Acacia é uma personagem misteriosa, mas parece compreender muito sobre Joey e sua(s) vida(s). Embora a relação entre os dois tenha começado de forma um tanto quanto peculiar, não demora para que suas paranecarnações comecem a especular um romance entre eles. O próprio Joey se vê questionando o que verdadeiramente sente por Acacia depois de algumas semanas juntos.

O segundo livro também é fundamental para a ampliação da saga e do universo da trama como um todo. Ao término da história temos um (re)encontro bem inesperado que amplifica e potencializa muito as sequências da história, tanto em termos de roteiro quanto de evolução de personagens. Outro ponto muito legal do livro é a questão da viagem temporal: tema pouco abordado no primeiro livro da trama, embora já “mencionada nas entrelinhas”. Com a aparição da Patrulha do Tempo, o universo de Entremundos é ainda mais enriquecido e abre inúmeras possibilidades de desdobramentos para Joey e seus amigos, inclusive uma mostra disso é muito bem apresentada na segunda parte da trama.

Na história, também temos uma forte questão no relacionamento de Joey com seus amigos. Em um trabalho árduo de conquistar a confiança de sua equipe, a segurança de Joey é abalada com o resgate de novos andarilhos que chegam à base. “Sonho de Prata” é uma ótima sequência para o já aclamado “Entremundos” e, embora imerso em muita ação, os mistérios apresentados e revelados também ao longo do livro criam muitas expectativas para o terceiro livro da série. O desfecho da trama promete ser arrepiante e muito envolvente; certamente o trabalho de Joey não será nada fácil daqui por diante. “Sonho de Prata” também deixa claro que o trabalho de Joey e sua equipe, ainda que sejam crianças/jovens, é uma missão de risco. As forças que desejam o controle das dimensões e da interzona se fortalecem e eles precisam estar preparados para enfrentá-las.

A narrativa é absurdamente rápida, em um piscar de olhos as quase 250 páginas acabam e você fica um tanto estupefato com o fim do livro (e muito impaciente para o próximo, claro). A saga é uma leitura leve e muito envolvente, uma ótima dica para quem gosta de ficção científica, magia e  aventuras.

SonhoPrata_ficha


Leia também: