Home » Cinema » Rogue One, uma história Star Wars [Crítica]

Rogue One, uma história Star Wars [Crítica]

por Ricardo Paes

em 20 de dezembro de 2016

Cativante e com aquele estilo clássico / primitivo que nos fez cair por amor pela trilogia original, ‘Rogue One’ se encaixa perfeitamente na magia que começou há quase 40 anos atrás e continua viva e sem prazo de validade!

Um grupo de combatentes da Aliança Rebelde juntam “forças” para roubar os planos da mais poderosa arma do Império – A Estrela da Morte e assim, trazer uma Nova Esperança para a galáxia.

Rostos Familiares – Humanos, Droids, X-Wings, Locações, tudo foi criado com muito cuidado pelo diretor e amante da saga – Gareth Edwards (Godzilla), e o que mais emociona é saber que tudo o que está acontecendo e sendo apresentado, respira o mesmo ar que Luke, Leia, Han, Chewie e Darth Vader…

(Rolou uma lágrima aqui!)

Sem a presença de Jedis, novos personagens são bem introduzidos a esse novo “start” no futuro da franquia. Felicity Jones mostra todo o seu potencial mais uma vez ao interpretar a rebelde Jyn Erso.

A única coisa que me causou um pequeno incômodo foi a curiosidade, no caso a minha!

Senti a necessidade de saber mais sobre alguns personagens chaves do filme, tais como: Saw Gerrera (Forest Whitaker), Chirrut Îmwe (Donnie Yen) e Baze Malbus (Wen Jiang).

Darth Vader?

Bom, a única coisa que posso revelar sobre esse mito em Rogue One é que ele tem sem sombra de dúvidas, uma das melhores cenas CINEMA! Sabe aquela vontade de levantar e soltar o URRO? É isso!

Fan Service – Filme consegue e MUITO contar a sua própria história sem depender muito das referências que aparecem em doses menores e que deixa tudo ainda mais maravilhoso.

Ação – O único Jedi no filme a meu ver é o diretor, por fazer cenas tão grandiosas e espetaculares de batalhas que nunca pensei em ver com tanto realismo em Star Wars.

O uso de câmeras na mão nos coloca no meio da batalha e de cara me fez lembrar claro do jogo ‘Battlefront’.

Enfim, com muita ação e pequenas e satisfatórias doses de humor (o dróid K-2SO é demais!), Rogue One não é apenas mais um filme e sim uma celebração da era de ouro dessa jornada clássica que todos nós acompanhamos e a cada vez que assistimos A-MA-MOS!

A Força está presente em ROGUE ONE!


Leia também: