Home » Colunas » Pokébolas: uma invenção dos timelords?

Pokébolas: uma invenção dos timelords?

Pokebola-invencao-timelord

por Alexandre Moreira

Introdução

Estudos recentes apontam uma grande descoberta que podem revolucionar ao menos 2 ou 3 realidades. Eis a pergunta: seriam as pokébolas uma invenção dos timelords?

Pense comigo: grande por dentro, pequeno por fora. A premissa está presente tanto nas naves dos viajantes dos tempos (as TARDIS) quanto nos refúgios dos queridos pokémon. A tecnologia de expansão de espacial, como sabemos é característico da população de Gallifrey, a pergunta então passa a ser: como tal conhecimento chegou às mãos dos mestres e treinadores de pokémon?

Expansão do espaço: magia ou ciência?

A humanidade enfrenta, em diversas situações, problemas de espaço: China com excesso de população, leitores com muitos livros e pouco quarto, metrópoles com muitos carros, etc. com isso, a busca por otimizar melhor o espaço (no sentido físico/espacial) é uma busca constante.

Populações que, ao longo de sua história, desenvolveram-se com base no misticismo e na magia, conseguem facilmente resolver diversos destes problemas. Ilustramos aqui, as mostras de tal prática no universo de Harry Potter, onde o feitiço de expansão foi usado para criar uma verdadeira mansão dentro de uma barraca de acampamento e um esplêndido galpão dentro de uma bolsinha de contas.

Expansão do espaço na mgia

Expansão do espaço na magia

É difícil apontar quem surgiu primeiro: magia ou ciência. Creio que ambos constroem – necessariamente juntas –  o firmamento do cosmos.

No universo pokémon, as pokébolas tem sua origem numa perfeita mescla de magia e ciência. Em Pokemópolis, artefatos muito (muito mesmo!) antigos foram usados para aprisionar pokémons gigantes como Alakazam, Gengar e outros. Na época, os artefatos eram feitos de pedra, e tinham um tamanho absurdo se comparado aos modelos usados atualmente pelos mestres pokémons. Com o advento do avanço da ciência e tecnologia, porém, foi possível aperfeiçoar a ideia e melhorar a proposta: nos modelos atuais, além da captura a pokebola oferece ao mestre, o controle da criatura armazenada. Para tal prática, as pequenas (ou nem tanto) criaturas são transformadas em uma energia luminosa que é capturada pelo sensor da pokebola. O interior de vidro permite que a luz fique refletindo até que o mestre libere o pokemon novamente.

Como sabemos, as TARDIS (Tempo e Dimensão Relativas no Espaço) são as naves usadas pelos timelords oriundos de Gallifrey. Com a aparência de uma cabine policial londrina dos anos 60’. Essas naves-máquinas-do-tempo são absurdamente maiores em seu interior, causando total e absoluto espanto em todos que tem a possibilidade de entrar em uma.

Propostas de expansão espacial também aparecem no universo Disney. Em Monstros S.A.  réplicas de portas dos guarda-roupas de crianças permitem os monstros viajar entre dimensões – uma proposta semelhante aprece em “Brave”.

Expandindo realidades

Por serem viajantes do tempo, os timelords seriam os principais suspeitos de trazer para a Terra a capacidade expansora do espaço físico,relatos e registros apontam a presença de um “Doctor” ao longo da história desde há muito tempo. Com isso é possível crer sem muita dificuldade que, ao se deparar com criaturas gigantes e perigosas, o cidadão de Gallifrey tenha deixado algum tipo de orientação para que os humanos pudessem capturá-los.

Sociedades potencializa-das em magia no entanto, podem ter se inspirado em tal recurso para desenvolver o chamado feitiço expansivo. A partir de seu uso e aperfeiçoamento, foi possível tornar seu uso doméstico facilitando diversos problemas cotidianos.

** a imagem usada no topo desta postagem e na divulgação das redes sociais foram extraídas do usuário Wazz88 (deviantart).

E então? O que achou dessa teoria? Compartilhe suas impressões com a gente comentando abaixo! 


Leia também: