Home » Destaque » Melodia Mortal [Resenha]

Melodia Mortal [Resenha]

por Alexandre Moreira

em 02 de julho de 2017

Os fãs de Sherlock Holmes não podem adiar para ler “Melodia mortal. Um verdadeiro presente nacional a todos aqueles que amam o detetive residente no 221B da Baker Street.

Escrito “por 3 pares de mãos”, o livro nos apresentam duas histórias em paralelo. Ao longo dos seis contos, encontramos com Holmes e Watson vivendo suas típicas aventuras investigativas bem como no legado de Sir Arthur Conan Doyle. Ao fim de cada caso, somos transportados aos tempos atuais onde um grupo de médicos Sherlockianos promovem encontros para discutir algumas conclusões do detetive sobre a morte de algumas vítimas de seus casos.

O propósito do grupo é averiguar se, a partir da evolução da medicina, os diagnósticos e deduções de Sherlock Holmes seriam tão precisos quanto se imaginava na época da publicação de seus contos. Com estas duas narrativas, temos Sherlock e Watson em situações inéditas, e muito bem escrita considerando o histórico destes dois personagens, ao mesmo tempo que o olhar técnico do Dr. Guido Carlos Levi contribui para aproximar ainda mais a trama da realidade.

Pedro Bandeira, famoso autor de livros infantis dentre os quais “A droga da obediência” e “A marca de uma lágrima” ganhou o prêmio Jabuti de literatura infantil em 1986 pela obra “O Fantástico Mistério da Feiurinha” e soube conduzir o livro com maestria ao  relacionar o caso da investigação dos detetives com a morte de grandes compositores e músicos da nossa história. Além disso, até Sigmund Freud faz uma participação especial em um dos casos.

Melodia mortal é um verdadeiro presente aos fãs e Sherlock Holmes, principalmente por ter sido ressuscitado de forma tão particular por mãos brasileiras. Humor, drama e suspense compõem essa obra de um jeito formidável e imperdível para todas as idades.