Home » Destaque » Agents of S.H.I.E.L.D. s04e01 – The Ghost e s04e02 – Meet The New Boss [Review]

Agents of S.H.I.E.L.D. s04e01 – The Ghost e s04e02 – Meet The New Boss [Review]

rider-shield-banner

Por Aline Dias

11 de Outubro de 2016

Agents of S.H.I.E.L.D. começou a temporada meio em câmera lenta. Vamos, primeiramente, fazer um apanhado geral do primeiro episódio e já emendamos no segundo.

Daisy, vulgo Tremor, se desligou da S.H.I.E.L.D. depois da morte de Lincoln e virou caçadora de membros da gangue Weightwatchers Watchdogs em Los Angeles. Daí, aparece um rapaz em chamas, uma espécie de justiceiro que ela não faz ideia de quem seja, mas sabemos que é o Ghost Rider, o Motoqueiro Fantasma (que está de carro e não de moto, a propósito). Num outro momento, ela chega a ir atrás dele para ver se consegue fazer com que ele a mate meio emo isso aí, combina com o visu novo dela.

Coulson (de volta ao campo de batalha como agente) e Mack tentam encontrá-la para traze-la de volta. Há um novo diretor e ele os proibiu de ir atrás de Daisy. Jemma, dona Simmons, fica irritada com May cheia de marra porque está tentando o seu melhor em ganhar a confiança do novo patrão e mante-los na agência. Tudo voltou a ser “classified” afe, minha gente e Simmons tem acesso a muito mais informação do que os outros por passar por detectores de mentira diariamente e ser a queridinha do novo boss. Ela ordena a May que busque Coulson e Mack da busca da Daisy que busca o Motoqueiro Fantasma. “Busca” é a hashtag do episódio, pelo jeito.

Dr. Radcliffe (aquele maluco que ajudou a criar os Inumanos Watchdogs coitados, que aflição) convidou Leo Fitz para conferir sua nova criação: a androide AIDA, que há algumas imperfeições no software, provavelmente, e depois de uma certa insistência, concorda em ajudar o Doutor Estranho a aperfeiçoa-la. Ele decide não contar a Simmons pois, como já foi dito, ela passa por detectores de mentira e geralmente mente mal pra caramba.

Na busca do Coulson e do Mack, May os encontra espionando uma gangue chinesa que carrega uma arma secreta. Só que de dentro da tal arma, um tipo de arca alô, Indiana Jones, sai uma fantasma, ou algo do tipo, e faz com que os gangsters chineses sejam infectados de alguma forma e eles parecem ter ficado loucos. May também é infectada e vê coisas.

Daisy, se metendo onde não é chamada, luta contra o Motoqueiro Fantasma e leva uma lavada. O episódio termina mostrando Daisy teimosa e xereta vendo o Motoqueiro em sua forma humana, Robbie, cuidando do irmão mais novo que é cadeirante.

O episódio foi diversificado, mas relativamente lento, se formos lembrar como foi o primeiro episódio da temporada anterior, quando Fitz deu uma de Indiana Jones e foi atrás de artefatos, relíquias e afins para encontrar pistas de onde Simmons poderia estar. Esse episódio introduziu o Motoqueiro Fantasma, a fantasma da arca, Daisy versão emo em ação, os agentes da S.H.I.E.L.D. relativamente separados e sem informação (“classified” para tudo), além da AIDA, que vai dar pano para manga, a segregação dos Inumanos e o Acordo de Sokovia, alinhando a temporada com o filme do Capitão América – Guerra Civil. Em breve, também, entraremos em um novo território: Doutor Estranho. Vamos ver como vão juntar essa galera toda de uma forma decente.

Agora, vamos recapitular o segundo e maravilhoso episódio, conectando fatos do episódio anterior.

S.H.I.E.L.D. e Daisy/Tremor estão investigando a fantasma da arca. Lucy volta ao local onde ela foi transformada em espectro e liberta ex-colegas de outras arcas cubos, afins, citando que precisa encontrar um livro e que era culpa do outro colega. Sim, conversa bem vaga para que seja explorada em outro episódio.

Daisy vai atrás de Robbie Reyes, mostrando que sabe tudo sobre ele (momento hacker), mas ele a imobiliza. Ele fuça nas coisas dela, como diário e afins, para ver se ela merece mesmo morrer. Nessa, ele descobre que Daisy está atrás da fantasma e tem dados sobre o local onde ela perdeu a forma humana. Ele vai para o local e, logo a seguir, Daisy consegue escapar.

O novo diretor, Jeffrey Mace, apresenta, juntamente com Coulson (o historiador, lembram?), a base da S.H.I.E.L.D. para investidores/patrocinadores em potencial, já que os tempos dos jatinhos milionários acabaram e eles precisam de dinheiro para funcionar decentemente. May está ficando cada vez mais paranoica e Mace, que é um Inumano, após May atacar meio mundo, a imobiliza e a deixa desacordada. Coulson tenta saber o que acontecerá com a amiga, mas Mace diz a ele que, em se tratando de May e Daisy, Coulson vira marshmallow não pensa de forma lógica, e não dá para confiar em suas decisões. May é levada para fora da base, sabe-se lá para onde, junto com os possíveis “patrocinadores” da agência. Quem são realmente esses caras? É ação atrás de ação; nem rola de respirar, meu povo.

Fitz e Mack encontram o local onde a fantasma Lucy e seus ex-parças estavam. Fitz descobre que o local está para explodir tá pegando fogo, bicho e Mack é preso dentro de uma cabine por um dos fantasmas, um revoltado. Provavelmente foi lá dentro que os fantasmas perderam a forma humana. Fitz tenta ajudar o Mack, impedir que o local não exploda e não deixar que o fantasma o toque (momento polvo, opa), quando o Motoqueiro Fantasma chega e os salva, queimando o fantasma. Daisy chega lá também e aconselha os amigos a não tentar captura-lo.

Mack cuida do braço de Daisy e, ao trocar algumas ideias, se toca de que Yoyo vem a ajudando e passando informações de dentro da S.H.I.E.L.D. para ela. Ele a chama para voltar à S.H.I.E.L.D. e parar de ficar andando por aí com um assassino e esses tipos de conselhos que a gente dá para amigos… Não, pera. Ela recusa gentilmente, e vai embora. Logo o Motoqueiro Fantasma a encontra, oferece carona para trocar ideia sobre os fantasmas/espectros e os Watchdogs. Ele encontrou uma conexão entre eles e acha que é ele mesmo quem os conecta. E, claro, Daisy aceita a carona. Bem, só para constar, o penúltimo namorado dela foi o Ward (cujo cadáver parasitado explodiu junto com o último namorado). Falo nada…

Esse episódio foi paulada para tudo quanto é lado. Foi emocionante, Daisy em contato com os amigos. Nossa, uma angústia que deu volta logo, fia. A May ficando louquinha de pedra, batendo em todo mundo, inclusive em Coulson, doeu lá dentro do coração. Os fantasmas não se divertem e estão tentando encontrar uma forma de voltarem ao normal. Quem são eles? O que fizeram? O que queriam alcançar ao entrarem numa experiência tão perigosa? O que eles, os Watchdogs e o Motoqueiro Fantasma têm em comum? Trabalharam numa mesma firma? Venderam a alma ao mesmo diabo?

O Motoqueiro Fantasma não matou a Daisy/Tremor até agora e, provavelmente, não vai matar. Deve estar com saudade de companhia de gente estranha. Robbie parece ser um cara legal, trabalha duro, ajuda o irmão… Quem segue a história do Motoqueiro Fantasma já o conhece, mas sempre há adaptações, junções de personagens, ideias, etc, no Universo Cinematográfico Marvel/UCM. Vamos ver o que estão reservando para esse personagem e se ele vai ser útil ou se irá atrapalhar a S.H.I.E.L.D..

O que será da S.H.I.E.L.D. com esse novo diretor no comando, o Jeffrey (GoT?) Mace? Será que vai para frente? Será que ele é confiável? Que tipo de Inumano ele é? Quando nossos queridos agentes poderão trabalhar juntos novamente?

Saberemos em breve. Espero.

O que vocês acham que vai acontecer a partir de agora? Bora tecer nossas teorias.


Leia também: